VI GRADUAÇÃO EM CAMPO
Seminários de Antropologia Urbana
de 20 a 23 de agosto de 2007

Clique no nos títulos das mesas ou das apresentações para assistir aos vídeos.

Apresentação
A cada nova edição, o evento A Graduação em Campo: Seminários de Antropologia Urbana das Ciências Sociais, já incorporado como atividade não apenas do NAU/USP, mas do próprio Departamento de Antropologia da FFLCH, apresenta novidades  no sentido de aprimorar e ampliar seu alcance. Se no ano anterior conseguimos incluir alunos de graduação de fora da USP, em 2007 a proposta, desde o planejamento da atividade, foi a  de  de estender a possibilidade de participação a graduandos de todo o país.É bem verdade que os estudantes cada vez mais têm acesso a congressos, seminários, encontros. No entanto, o evento A Graduação em Campo: Seminários de Antropologia Urbana das Ciências Sociais se distingue não só pela especificidade de área de conhecimento como pela exclusividade: nele, os protagonistas são alunos de graduação cujos trabalhos de conclusão, monografias e relatórios de pesquisa, na maioria das vezes, não ultrapassam os limitados horizontes das salas de aula, ou então jazem esquecidos em prateleiras e gavetas das salas dos professores.
A experiência tem mostrado, contudo, que muitos desses trabalhos apresentam interesse não apenas do ponto de vista didático, como aprendizado de técnicas de pesquisa, ou de exercício conceitual: trazem informações, apresentam novas perspectivas de análise, descobrem inusitados recortes de investigação e propiciam ocasiões de reveladoras experiências etnográficas. Não poucos constituem o primeiro e decisivo passo para a continuidade dos estudos pós-graduados;  nos tempos que correm, com os prazos exíguos e carência de bolsas, é conveniente trazer já uma bagagem não apenas teórica, mas resultados de trabalho de campo. Apesar das novidades já apontadas, que propiciaram contatos e trocas entre alunos de diferentes procedências e instituições, a edição de 2007 de A Graduação em Campo: Seminários de Antropologia Urbana das Ciências Sociais manteve, basicamente, a mesma orientação e formato desde que foi proposta pelo NAU, em sua primeira experiência, em 2002: é um evento que aposta na valorização do ensino e pesquisa na graduação.


As apresentações e os debates foram transmitidos via internet com o apoio do Estúdio Multimeios do CCE/USP através website do Núcleo de Antropologia Urbana , onde também estão disponíveis os resumos dos papers e os vídeos das apresentações; os trabalhos mais destacados serão publicados em sua Revista Eletrônica, 


Clique no nos títulos das mesas ou das apresentações para assistir aos vídeos.
 
Caderno de Resumos em PDF
20 DE AGOSTO  Abertura
 

Conferência Inaugural

Profa. Dra. Mariza Peirano (UnB)
Etnografia, ou a teoria vivida

 

Mesas e Debates
21 DE AGOSTO, 16h, sala 8
O prazer e o estigma na cidade: considerações sobre práticas classificatórias em algumas instituições

Apresentação: José Agnello 


 

Cinemas pornôs em São Paulo
Alexandre Rosa, Anderson Vallerini, Cleber Alves, Danilo França (USP)

Para além do quilômetro dois: um estudo antropológico sobre os usos do corpo e do espaço numa casa de prostituição feminina
Amanda Gomes Pereira (UFJF)

Balada de preto e balada de branco: festas e preconceitos à brasileira
Katucha Rodrigues Bento (ESP)

Classificação e estigmatização: uma abordagem etnográfica na escola
Marina A. Capusso, Nicolau Dela Bandera Arco Netto, Roberta K. Soromenho Nicolete (USP)

Debatedor: Alexandre Pereira (Doutorando em Antropologia Social USP)

21 DE AGOSTO, 19h, sala 8
Mesas e Debates
Identidades reconfiguradas: entre a tradição e a modernidade
 

Apresentação: Jacqueline Kawauche

O circo: na corda bamba entre o tradicional e o moderno
Francisco Toledo Dayrell de Lima, Luís Felipe Kojima Hirano (USP)

Agora, a ocupação de espaços políticos
Tiago de Aragão (UnB)

Música sertaneja e identidade de grupo
Urias Couto Gonçalves (UFJF)

O “esperar troquinho” no centro de Porto Alegre: tradição e inovação na cultura mbyá-guarani
Andréa Grazziani Otero (UFRGS)

Debatedora: Daniela Alfonsi (Mestranda em Antropologia Social USP)
 

Mesas e Debates
22DE AGOSTO, 16h, sala 8
O espaço urbano negociado: disputas políticas e mediações

Apresentação: Larissa Costardi

Papeleiro, Um “Papel” (In)Visível
Jean Carlos Gomes Camargo, Suzane de Alencar Vieira (UFG)

Vivendo no trecho: um ensaio etnográfico sobre “moradores de rua
Clara Zeferino Garcia, Marcos Castro Carvalho, Mariana Medina Martinez, Mariana Miranda Zanetti (UFSCar)
 
 

Feira de São Cristóvão: um nordeste idealizado num locus carioca
Elaine Rodrigues Perdigão (UFF)
 

Debatedor: Daniel de Lucca Reis Costa (Mestrando em Antropologia Social USP)

22DE AGOSTO, 19h, sala 8
Mesas e Debates
Diversidade religiosa na metrópole

Apresentação: Jacqueline Kawauche

A recepção das noções de pureza no discurso e na vivência religiosa dos obreiros da Igreja Internacional da Graça de Deus.
Elisa Rodrigues (ESP)

Oferendas e sacrifícios: as religiões afro-brasileiras na cidade de Porto Alegre
Marina Barbosa e Silva (UnB)

A comunidade muçulmana de Juiz de Fora
Jayme Almeida Schmitz (UFJF)

Debatedora: Eva Scheliga (Doutoranda em Antropologia Social USP)

Conversa com Pesquisadores

 

Mesas e Debates
23DE AGOSTO, 16h, sala 8
Conflitos no ar: mídia e relações internacionais
 

Apresentação: José Agnello

Rádios livres: uma controvérsia no ar
Flora Rodrigues Gonçalves (UFMG)

Emissoras de rádio no mundo “interdependente”
Caspar Nilsson Wolf  (Freie Universität Berlin/USP)

Todos a la plaza’: a polissemia das relações sociais no cotidiano da Plaza de Mayo
Graziella Ximenes (UFF)

Estudantes de língua portuguesa na UnB: construção de identidades e políticas de inserção no espaço acadêmico
Sara Santos Morais (UnB)

Debatedora:Jessie Sklair (Mestranda em Antropologia Social USP)

Conversa com Pesquisadores

23DE AGOSTO, 19h, sala 8
Mesas e Debates
Quando a diferença é o corpo

Apresentação: Larissa Costardi

Maternidade (re)inventada
Denise Ferreira da Costa, Lívia Tavares Mendes Froes, Nikolas Mendes (UFMG)

As metáforas do câncer: entre o indizível e o dizível
Silvano Redon (UEL)

Estética botulínica: etnografia das mediações químico-humanas
Isabel Lüscher Fonseca (UFMG)

Olhares atentos, corpos que falam: sociabilidade e performance no contexto a língua brasileira de sinais
Paula Guedes Bigogno (UFJF)

Debatedor:César Augusto de Assis Silva (Doutorando em Antropologia Social USP)
 

Conversa com Pesquisadores




Site Meter